terça-feira, 25 de novembro de 2008

O dilema do músico.



S
abe quando você começa a escrever (e escrever... e escrever...) e quando percebe, já são quase 3 da manhã?! Pois então! Minha semana começou assim e eu adoro, sabe?! Isso é sinal de que minha inspiração está à flor-da-pele, meus pensamentos estão ligadíssimos e minha insônia volta a reinar! aiuehaue...

Mas eu não fico triste por isso não! Sinceramente, eu adoro esses momentos... São únicos e é a única parte do dia em que não preciso disputar com o barulho da rua e a péssima distração com outras coisas. Enfim, vou direto ao ponto! Deixarei registrado aqui uma música que fala da minha terrível dúvida entre ir ou não para o Rio, morar com a minha irmã que já estuda relações internacionais lá, há 4 anos... (Qual o meu objetivo ao ir pra lá?! Tentar uma oportunidade, um espaço onde eu consiga fazer o que mais gosto: musicar!) Vim dividir com vocês essa angústia toda (me perdoem! hehehe) e através desta letra espero conseguir me expressar da melhor forma! :P


"Duas ruas que me levam a dois destinos
e um só pode me dar o que preciso!

São caminhos diferentes

e que me fazem perder a razão!

Comparando as versões e as condições

que jamais foram vividas por mim,

vou de encontro a uma corrida contra o tempo

e ao medo que se explica ao fim!

Não posso fugir da verdade,

tendo de reagir enquanto há tempo!

É a falta que traz a coragem de volta...

Pego na estrada, vou curtindo uma levada,

desafino em pensamentos!

Leio um livro fino, de histórias mal-contadas

e finais felizes, sem lamentos!


Parece que só eu duvido de mim...

Até um cara estranho finge que sim

e elogia o meu timbre ao cantar,

dizendo que posso ser mais se eu tentar!


Não consegui pregar o olho, mas não...

adiantou pra que eu não errasse a estação
e desacreditasse ainda mais

de que não voltarei atrás!


Às vezes, penso que meu mundo gira ao contrário

e por isso, perco a direção.

São fantasias e teatros sem cenários...

Histórias cheias de ação!


Não posso fugir da verdade,

tendo de reagir enquanto há tempo!
É a falta que traz a coragem de volta...


Parece que só eu duvido de mim...

Até um cara estranho finge que sim

e
tenta demonstrar alguma admiração
pelo meu jeito quando toco um violão!


Num mesmo instante, aquela cena parou...

Ficou distante enquanto a chuva molhou

os últimos vestígios de medo e então,

tomei a minha decisão!


Vou levar a minha vida num lugar

onde aceitem ouvir minhas canções!

Posso até errar na escolha,

mas preciso consertar minhas confusões!


E seguir o tal conselho de andar

com minhas próprias pernas pra outro lado!

Pois se algo não der certo,
só irei me arrepender se não tiver tentado!


Não posso fugir da verdade,

tendo de reagir enquanto há tempo!
É a falta que traz a coragem de volta...


Parece que nem eu duvido de mim!

Passei a acreditar que tudo, no fim,

terá seu reconhecimento,

por mais que leve um longo tempo!


É isto o que a vida pede de nós:
tentar conquistar com o som de nossa voz,
o sorriso de quem a escuta

e pede bis!"


"Não sei se vou ou se fico... Não sei se fico ou se vou..." aeihaiea

7 comentários:

Paulianne disse...

Que bom que vc voltou!!! Obaaaa!!
Beijos

Cαгolinα disse...

escrever não é pra qualquer um não.. admiro quem tem esse dom!!

Redação disse...

Genial, eu tiro meu chapéu 'pros seus textos!

d;*

Camilinha disse...

Vem pro Rio, vem pra música.
Independente de onde seja, faça o que queres...
espalhe melodias, tom, letras ate altas da manhã...
Optar é quase sempre, uma necessidade.
Sorteeeeee :D

Cadinho RoCo disse...

Sinta o que quer antes sem se preocupar com decisão que seja. Sinta o que quer, converse com este querer amigavelmente, sem se preocupar em decidir nada. Sinta o que quer e fortaleça este querer, sem ter que decidir nada, por enquanto. Sinta o que quer e o querer amadurecido em você. Aí sim, estará pronta para decidir. Mas digo-lhe sem reserva. O melhor lugar do mundo é o que estamos nele. Sou apaixonado pelo mar, estou distante dele por alguns tantos muitos quilômetros e hoje consigo trazer este mar aqui, porque é aqui que estou. Quando der irei, mas quando der. Cansei de querer ir sem poder ir e ficar à deriva. Hoje não fico. Faço com que o querer aja da maneira que é possível.
Cadinho RoCo

D.Ramírez disse...

Trabalhei muito a noite, sem telefones, barulhos e achava ótimo. Hoje sou obrigado a trabalhar de dia, clientes e mil coisas, mas viro noites trabalhando..realmente de noite as coisas fluem...
E para uma bela música não há capital, ou lugar que freara talento. Siga em frente, se nao der, volte. O importante é ir e seguir em frente;)
Besitos

Camila :) disse...

lindoooooooooooo demais :)